Como mudar de profissão? Uma história real

O que Clóvis de Barros chama de energia de potência o que nos move a fazer o que amamos eu declaro de forma mais simples “Se o que você faz não te dá energia para levantar na hora marcada em seu despertador, mude”. É simples, levantar cedo não é problema para quem tem propósito, para quem sabe o que quer, é mais fácil você acordar antes do despertador tocar do que você passar mais tempo na cama.

Isso comprovei em minha pele, conforme nosso querido amigo Thiago Nigro diz “Skin in the game” em seus vídeos.

Quem é casado talvez entenda o que vou dizer, quando o cara casa existe uma complexidade exagerada na administração dos papéis exercidos. A mulher não liga para você, não te dá atenção mas experimenta fazer algo. E eu tenho duas mulheres lindas em casa, minha amada esposa e minha adorável filha.

Para tornar mais claro a compreensão vou pintar com você um quadro:

Imagina você chegando em casa. Pronto, imaginou? você abri a porta cumprimenta sua esposa, um abraço e um beijo.

Você tem algumas opções, correr para o banheiro tomar banho ou perguntar para ela como foi o seu dia. Eu costumo conversar antes do banho, começo contando do meu dia e pronto aí ela fala e fala e fala. Depois tem a seção filha. Quando termino os papéis de esposo e pai e jantar já são 22 horas e o cansaço e o sono já se fazem presentes.

Se você exercer mais papéis você não consegue estudar. Por exemplo, papel de social media, Facebook, Twitter, WhatsApp.

Se você não souber administrar seu tempo e equilibrar tudo em sua vida você não terá sucesso. Experimenta não exercer o papel de pai e esposo. Vai estudar, ou assistir TV. Do nada alguém aparece “Sabe amor”, “Pai eu preciso de ajuda”. Discutir relação no momento de um código sem chance.

Então combine com a família para que a partir de tal hora você estará ausente pois vai estudar. Ou melhor selecione um ou dois dias da semana.

As 22 horas é o computador e eu estudando. Vou até as 23:50, lembrando que não faço isso todos os dias pois reservo dias da semana para outras atividades. Então estudo apenas 3 dias por semana, mas ainda acordo cedo para estudar itens de desenvolvimento pessoal e financeiro.

Bom vamos para a história

Era ano de 2012 quando fui demitido da Plural uma indústria gráfica localizada na cidade de Barueri, tinha 25 anos, foram 6 anos de luta, suor e desgaste emocional, primeiro não gostava do que fazia e segundo não gostava mesmo.

A empresa era ótima tinha vários benefícios, mas na minha cabeça a empresa era ruim, pois não havia percebido que eu não gostava mesmo era da área a final em meu peito tinha um desejo maior. Apesar de ser nesta época um analfabeto digital tinha muita vontade de trabalhar com tecnologia, ficar sentado em frente de um computador, ar condicionado, escritório etc.

Entrei na faculdade de tecnologia do estado de São Paulo a FATEC e acreditava que rapidamente iria encontrar um novo emprego já em tecnologia. Mas não foi bem assim conforme mencionei acima era analfabeto digital, para não parecer exagero sabia clicar no ícone do Google e acessar a internet.

Passei o primeiro semestre lutando para entender o básico e percebi que precisaria estudar muito. Então passava muitas horas do meu dia e noite estudando. Na internet tem muito material e sentia que precisava recuperar o tempo perdido, minha esposa não gostou muito da ideia, pois passava muito tempo em frente do computador. Lembra do que escrevi acima?

Então passava muitas horas do meu dia e noite estudando. Na internet tem muito material e sentia que precisava recuperar o tempo perdido, minha esposa não gostou muito da ideia, pois passava muito tempo em frente do computador. Lembra do que escrevi acima?

Mas o dinheiro acabou muito rápido, fiquei cerca de 8 meses desempregado e não consegui nada na área de TI e desesperado ingressei em outra gráfica para trabalhar muito mais do que a anterior e ganhando a metade. A escolha não me pareceu boa, ganhava um salário legal na Plural mais uma cesta de benefícios e no novo emprego ganhava metade, não tinha benefício e ficava muito longe da minha casa.

Nestas horas você pensa que seria melhor não ter tentado mudar, melhor seria fazer algum curso na área de gráfica e levar a vida conforme ela vai acontecendo, apesar de não gostar pelo menos estaria trabalhando.

Mas continuei estudando nas horas vagas e fiquei apenas 3 meses neste novo emprego, fui demitido e logo entrei em outra gráfica para ganhar um pouco melhor e trabalhar 7 dias por semana e 12 horas por dia. Não aguentei e pedi para sair.

Fiquei desempregado novamente cerca de 4 meses e ingressei novamente em outra gráfica.

Quando você trabalha em algo que não gosta não há paz, tudo é motivo para reclamar, não há interesse em especialização, as segundas são os dia mais difíceis e as sextas são uma libertação. O fato de mudar de empresa com muita frequência é um fator de risco e de descontentamento. Existe aqueles que mudam de emprego com facilidade devido a fatores de força maior (salário) isto é algo constante na vida de um desenvolvedor outros mudam pelo desafio, aprendizado.

Em 2015 voltei a faculdade com a ideia de que o ensino superior me daria as qualidades técnicas desejadas, engano. Não quero aqui desmerecer a qualidade de ensino prestado pela faculdade que cursei, ou dizer para você não fazer faculdade, mas vejo pessoas gastando uma fortuna em faculdades que se quer tem um conteúdo adequado. Para ser sincero não utilizei 30% do que aprendi na faculdade em meu trabalho. Conheço pessoas que não fizeram faculdade e são profissionais de excelência e seus salários são altíssimos e empreendedores que chegaram a ser os mais ricos do mundo sem nunca terem concluído seus cursos. O mundo mudou a forma de ensinar e aprender também.

Continue lendo e vou te mostrar o que estudei para conseguir uma vaga de programador

De 2015 a novembro de 2016 foram meses de muitas lágrimas, trabalhava a tarde e estudava pela manhã e nas madrugadas e finais de semana estudava através do youtube, não recomendo já falo o por que. Comecei a escrever minhas primeiras linhas de código e acreditava que estava preparado para atuar na área.

As candidaturas

Primeira vez que fui concorrer a uma vaga foi muito triste, o recrutador olhou para mim e disse, “você é um operador de guilhotina, o que você vai fazer na minha empresa?”.

Um outro deu risada e pediu para contar várias vezes o que eu fazia, qual era minha real experiência.

Outros não me convocaram para uma entrevista. Foram vários currículos e cadastros realizados.

Mas como diz palavra do meu Pai, digo Deus:

Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.

Mateus 7:7

Um dia a porta se abriu através de um colega que havia me indicado, entrei em uma empresa chamada Cappta. Não foi fácil, o diretor me fez várias perguntas e me deixou até constrangido mas ao final eles acreditaram em mim e eu fiquei maravilhado.

A mudança

Imagina como foi a minha reação ao subir no vigésimo terceiro andar de um prédio, sentar em uma cadeira de um escritório, ligar o computador e colocar um headphone e começar a atender. Pois é meu primeiro trabalho na área de tecnologia foi como atendente.

Eis um ensinamento que mudou tudo na minha vida.

Sabe aqueles livros que mudam a vida, pois é “Skin in the game” tenho uma pequena biblioteca com um punhado de livros que realmente mudaram minha vida.

Já leu algo parecido?

  • Trabalhe para aprender, não trabalhe pelo dinheiro

Eu não queria ser atendente, eu queria ser desenvolvedor mas precisava começar de alguma forma.

De onde surgiu a ideia de ser desenvolvedor?

Conforme escrevi acima eu era analfabeto digital, mas quando comecei a trabalhar sabia que queria ser desenvolvedor.

Quando ingressei na faculdade conheci um cara, um desenvolvedor de 22 anos que trabalhava home office e tinha um salário que tinha visto apenas com os gerentes das fábricas que havia passado. Ele me contou como era ser um desenvolvedor e o que ele fazia e me despertou um interesse muito grande e que se confirmou quando comecei a estudar.

Voltando para a história

Como atendente tive uma série de desafios, mas aprendi a me comunicar e expressar de forma mais adequada. Mais em nenhum momento tirei o foco do que queria

  • O que você foca se expande

Comecei a conversar com o time de desenvolvimento e fazia várias perguntas.

Até que um dia um colega foi na área de atendimento e perguntou se conhecíamos alguém que entendesse de programação e tivesse facilidade para comunicação. Eu olhei para ele e disse “você acabou de encontrar”.

Para minha surpresa as pessoas que estavam do meu lado disseram que fulano e ciclano tinha condições de atuar nesta vaga, mas eu não. Fiquei triste, mas não dei atenção.

Encare estas pessoas como uma provocação, uma energia extra para você se dedicar ao seu sonho.

Quando disserem para você desistir, diga “EU POSSO”

Me candidatei a vaga e tudo ficou mais difícil, na faculdade estava estudando para prova no trabalho foi me passado vários desafios e um outro colega disse abertamente.

“Desiste, você é louco como que você vai entregar este desafio, trabalhar e estudar para a prova?”

Outro “Você estuda na mesma escola que eu, você não vai conseguir entregar este desafio, lá eles não ensinam isso”

Se você que falou isso está lendo não se preocupe, não guardo ressentimentos.

Eu te agradeço por me incentivar

Entreguei o desafio, infelizmente não consegui alcançar o desejado mas foi o suficiente para conseguir a vaga.

Aqui foi um dia memorável. Eu saí pelo shopping com lágrimas nos olhos batendo as mãos. Parecia uma cena do filme “A procura da felicidade”

Passado a euforia estava eu sentado junto ao time de desenvolvimento aprendendo como um trainee a desenvolver. Conceitos de OOP, Clean Code e Git.

Lembra que falei que não recomendo o youtube, pois é tudo que sabia vinha deste lugar e realmente existem pessoas boas e existem pessoas muito ruins disseminando conhecimento errado e arquiteturas estranhas. Quando mostrei meu código as pessoas riram e me deram vários conselhos. Tive que deletar o que sabia e aprender do zero.

Por isso recomendo para quem está começando alguns cursos e livros que realmente agregam conhecimento e valor.

Não quero que você perca tempo aprendendo com conteúdo errado. Afinal tempo é o recurso mais escasso que existe. Por tanto não perca tempo

Como quase fui demitido

Devido à alguns problemas como tempo, entrega de tarefas, escola e a mudança de atividades não entreguei resultados a quem havia confiado em mim e logo me vi em apuros. A área de homologação havia passado por mudanças e os novos gestores olhavam para mim com certa desconfiança e não acreditavam que poderia continuar. Para ter uma ideia havia tirado nota C na avaliação semestral, ou seja estava a um passo de ser demitido do meu sonho.

Um dos gestores e mais tarde um dos meus melhores amigos me chamou para conversar e depois de algumas horas ele entendeu o que pensava o que eu queria e eu entendi o que eles esperavam de mim.

Aqui aprendi uma lição incrível

  • Pergunte por resultados

Assim como Geraldo Rufino disse sobre sua história de sucesso, “eu adorava bater metas”

Comecei a me questionar sobre meus resultados, peguei um papel e comecei a descrever o que já tinha feito e para minha surpresa saíram duas linhas.

Pergunte por resultados, quando você quiser mover alguém, mas seja objetivo não aceite respostas genéricas

Listei minhas metas e fui atrás de resultados ao final do semestre saltei para B+ e um aumento no salário.

Me envolvi tanto com minhas tarefas que chegou um momento de me questionar para onde estava indo. Comecei a realizar as tarefas o mais rápido possível para sobrar tempo para desenvolver algo, olhar o código, estudar.

Conforme o tempo foi passando descobri algo que me tirou o chão.

Me acomodei, a zona de conforto, o medo de sair da empresa e ficar desempregado.

O cara que trabalhava comigo disse: Vou sair, este ano vou ser dev

Um colega me disse “Tio Will você é dev, mas aqui os profissionais são de outro mundo”

Meu colega foi trabalhar no Bradesco

Eu continuei estudando… a área mudou novos gestores, novamente meus resultados haviam caído, sabia que não estava bem mas não havia mais nada a fazer.

Sabe quando você acorda sem vontade, um grande indicador que chegou o momento de sair da empresa é quando você utiliza a função soneca do despertador, este negócio de dormir mais um pouco é prova que acabou a paixão.

Tinha medo de sair e ao mesmo tempo sonhava.

Bom, obrigado Cappta foi uma experiência incrível

Fiquei um mês desempregado e aproveitei para consolidar meu conhecimento através de cursos.

Após um mês resolvi procurar emprego e para minha surpresa tive a opção de escolher em qual empresa iria trabalhar.

Agora trabalho em um escritório na região da Lapa em um projeto que vai mudar a forma com que as pessoas abrem empresa. Meu trabalho vai impactar a vida dos empreendedores, prefeituras advogados o estado de São Paulo.

Não consegui sozinho, nesta história temos a participação especial de Deus, colegas e seus conselhos, livros, cursos e meus novos colegas que me ensinam muito.

Estou estudando e mirando uma vaga no Canadá.

Espero que você tenha gostado, não esqueça de compartilhar e comentar.

Gostaria de escrever mais sobre o assunto, mas para isso preciso saber o que você achou da história e se agreguei algum valor a sua vida.

10 thoughts to “Como mudar de profissão? Uma história real”

Leave a Reply